Sinal verde para o plantio do algodão vem acompanhado de alerta em parte de MT – MEDIO NORTE NOTICIAS
Informações a Todo Momento, de Nova Mutum, Brazil. Site de Noticias de Nova Mutum e Região do Medio Norte Matogrossense. Nova Mutum, Noticias, festas, policia, acidente, cidade, emprego, entretenimento, fotos, economia, agricultura, informação, Mato Grosso, Nova, Mutum, Mato, Grosso, Política, Prefeitura, Câmara, esporte, jovem, tempo, real, bombeiros, rodovia, trânsito, delegacia, Militar, Civil, Prisão, Arma, Fogo, centro oeste, biodiesel, industria, dinheiro, telefone, falecimento, vagas de emprego, vagas, BR-163, Km 600, MT-249, MT-235, Ranchão, Pontal do Marape, ginásio, jogos, escola, qualidade de vida, comercio, empresa, prédio, saúde, hospital, prefeito, vereador, eleição, bombeiros, lago, chafariz, Balada, Danceteria, Show, Fotos, Cobertura de Eventos, Informando Nova Mutum, Região, notícias de Mato Grosso, Lucas do Rio Verde, Sinop, Sorriso, Nova Mutum, Cuiabá e Região,

Sinal verde para o plantio do algodão vem acompanhado de alerta em parte de MT

Cultivo das lavouras está autorizado nas regiões de Campo Verde, Rondonópolis e Primavera do Leste; mas agricultores devem manter áreas limpas de plantas “tigueras” para evitar pragas

Homem tenta estuprar criança e é preso em flagranteComeçou a safra de algodão para os produtores da chamada “região 1”, que inclui os municípios de Campo Verde, Rondonópolis, Primavera do Leste e suas respectivas regiões em Mato Grosso. Com o fim vazio sanitário nestes locais no último sábado, o plantio está autorizado. Já na chamada “região 2”, que engloba os municípios de Lucas do Rio Verde, Sorriso, Sapezal e regiões, o sinal verde para o cultivo só virá no próximo dia 15 de dezembro.

Nesta nova safra as lavouras de algodão devem ganhar espaço no estado, chegando a 1,140 milhão de hectares segundo o Imea, 2% a mais do que no ciclo anterior. Entretanto, apenas 155,7 mil hectares devem ser semeados durante o mês de dezembro, o chamado “algodão safra” (13,6% da área total). A grande maioria das lavouras será cultivada em janeiro após a colheita da soja, o chamado “algodão safrinha”.

Apesar do sinal verde para o cultivo, a recomendação é para que os agricultores mantenham o alerta no campo, dando sequência às medidas de prevenção e controle contra a incidência de pragas, especialmente o bicudo-do-algodoeiro, que tem “assolado as plantações do estado”. O alerta foi disparado pelo Instituto Mato-grossense do Algodão (Ima-MT), que registrou grande pressão do inseto durante o período de entressafra da cultura. “Eliminar qualquer tipo de planta de algodão dentro das lavouras de soja, cujo plantio está perto do encerramento em Mato Grosso, é medida essencial para garantir o sucesso da próxima safra de algodão. Não pode haver plantas vivas de algodão em meio à soja, em geral tigueras e rebrotas. Trata-se de um risco fitossanitário muito grande e é tarefa do produtor eliminá-las de qualquer forma”, reforça a nota publicada pelo Instituto.

O texto diz ainda que “os armadilhas instaladas nas propriedades para identificação e captura do bicudo devem ser mantidas para facilitar a identificação da quantidade e da localização das infestações, permanecendo nas lavouras até mais ou menos 35 dias após o plantio do algodão”. Outro alerta é com o risco da presença de plantas voluntárias nas margens das rodovias e, ainda, em propriedades que fazem uso de caroço do algodão – como os confinamentos – onde também há chance de encontrar pés de algodão tiguera: “É preciso promover o arranquio e não deixar nenhuma planta sequer, pois permite a infestação do bicudo”.

VEJA TAMBEM:  Conselheiro Guilherme Maluf toma posse em sessão solene nesta segunda, 16/12

Considerado o “inimigo número 1” das lavouras de algodão, o bicudo do algodoeiro causa prejuízos milionários a cada safra aos agricultores. Em 2016, um levantamento feito pelo próprio IMAmt estimou em US$ 270 milhões o tamanho das perdas e gastos anuais dos produtores de Mato Grosso para controlar a praga.

Canal Rural

você pode gostar também
Loading...