ACOMPANHE📺

Servidora vendia computadores furtados de órgão estadual

Uma terceira pessoa, ex-servidor, confessou ter sido responsável pelo furto de equipamentos no local, mas contra ele não houve flagrante.

A Delegacia Especializada de Combate à Corrupção (Deccor) foi acionada pela atual gestão do Ganha Tempo, administrado pela Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão, que constatou, durante levantamento patrimonial de rotina, a falta de equipamentos informáticos da unidade da Praça Ipiranga e que poderia haver participação de funcionários do local.

Durante diligências, as equipes de investigação da Deccor apuraram que uma atendente da unidade estava anunciando em rede social a venda de computadores idênticos aos furtados da unidade do Ganha Tempo.

Os investigadores localizaram uma loja de assistência e venda de equipamentos de informática, onde foram apreendidos dois computadores subtraídos do Ganha Tempo. O proprietário do local foi preso em flagrante por receptação.

Durante interrogatório, o suspeito confirmou que adquiriu três equipamentos da atendente e os colocou à venda. Os três foram recuperados pela Polícia Civil.

Assine nosso boletim de Noticias

Em continuidade às diligências, a equipe da delegacia especializada localizou a servidora do Ganha Tempo, que confirmou a venda dos computadores ao receptador e disse que guardou um deles na residência da mãe dela.

Depois de apreender o aparelho com a atendente, os policiais deram voz de prisão à funcionária, que foi também encaminhada à delegacia.

Em depoimento, ela declarou que havia ‘ganhado’ cinco computadores (CPU, teclado, mouse e monitor) de um ex-funcionário do Ganha Tempo, que subtraiu os equipamentos do local. A moça disse ainda que anunciava a venda em páginas pessoais e comerciais na internet.

Subtração

Os policiais da Deccor localizaram o ex-funcionário do Ganha Tempo que, em oitiva na delegacia, confessou o furto de 10 computadores da unidade da Praça Ipiranga, há mais ou menos dois meses. Ele declarou ainda que entregou cinco deles à atendente e vendeu outros cinco para uma pessoa em Várzea Grande.

Portal News

Notícias relacionadas