ACOMPANHE📺

Pix: BC barra limite de operações e lança integração com lista de contatos

Banco Central anunciou nesta quinta-feira, 18, algumas das novas funções prometidas para o Pix neste ano de 2021. A primeira delas é a possibilidade de integração da lista de contatos do usuário com o sistema. Assim, quando utilizar o Pix, os consumidores poderão selecionar o destinatário entre os seus contatos telefônicos.

A novidade foi divulgada em comunicado que afirma que a diretoria colegiada do Banco Central alterou o regulamento do Pix para permitir o desenvolvimento da funcionalidade. No entanto, isso ficará a cargo das instituições participantes do sistema. “A mudança visa facilitar a identificação de quem cadastrou seu número de celular como chave Pix, simplificando ainda mais a experiência do pagamento com a funcionalidade”, diz o documento do BC.

O BC também anunciou a proibição da imposição de limites para o número de operações realizadas pelos usuários, por parte das instituições financeiras: “Foi estabelecido, no regulamento, que as instituições participantes ficam vedadas de fixar limites para o número de transações Pix, seja de envio ou de recebimento. Essa vedação é necessária para garantir condições competitivas equânimes entre diferentes instrumentos de pagamento”.

Outra novidade diz respeito ao nome utilizado no sistema. A partir de agora, os usuários poderão, em caso de mudança no nome, solicitar alteração das informações sem a necessidade de excluir e registrar novamente a chave. Isso facilitará, por exemplo, o ajuste quando uma pessoa alterar o nome em decorrência de casamento, ou uma empresa alterar o nome fantasia do estabelecimento.

O BC também anunciou que, a partir de agora, também fica permitido que usuários finais pessoa física podem solicitar o vínculo de seu nome social à chave Pix.

Assine nosso boletim de Noticias

Até o momento, o novo sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central tem mostrado ótima aceitação pelos consumidores brasileiros. Até o final de fevereiro, já eram mais de 180 milhões de chaves cadastradas e quase 70 milhões de usuários no Pix.

Desde o início do ano, o Pix já supera TEDs e DOCs em número de operações, e tem desmontrado crescimento constante. Se em janeiro foram realizadas 200 milhões de transações pelo novo sistema, em fevereiro o número chegou a mais de mais de 275 milhões. O valor mensal movimentado no Pix passou de 160 bilhões em janeiro para 170 bilhões em fevereiro.

Exame

Notícias relacionadas