ACOMPANHE📺

Operação Lei Seca pode ser expandida para municípios do interior

O Gabinete de Gestão Integrada da Secretaria de Estado de Segurança Pública (GGI/Sesp) esteve, nesta quinta e sexta-feira (28 e 29.10), em Juína (740 km de Cuiabá) e Tangará da Serra (245 km de Cuiabá) para discutir, entre outras pautas, a adesão destes municípios à realização de Operações Lei Seca. O objetivo é reduzir o número de acidentes fatais ocasionados pela combinação de álcool e direção.

A coordenadora do GGI/Sesp, major PM Monalisa Furlán Toledo, fez a apresentação de como a operação integrada é coordenada e dos benefícios que o município recebe, não só diminuindo os índices de acidentes fatais, mas também em relação à economia com a Saúde Pública, já que na maioria dos casos estes acidentes acabam sendo atendidos pela rede pública de saúde.

Com o aparelhamento dos municípios por meio da entrega de 50 etilômetros adquiridos pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran), é possível que pelo menos uma cidade das 15 Regiões Integradas de Segurança Pública (RISPs) tenha estrutura para a realização das operações.

Neste contexto, o GGI já visitou além de Tangará e Juína, o município de Nova Mutum (238 km de Cuiabá), também interessado na implantação das operações. Os três municípios são sede das RISPs 7, 8 e 14, respectivamente.

Além disso, Monalisa também aproveitou as visitas para apresentação da estrutura do Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGI-M). O GGI-M é uma estrutura composta pelos poderes constituintes, as forças de segurança que atuam no município, tendo como presidente o prefeito da cidade e podendo ter secretários municipais também em sua composição.

Alguns municípios do interior, como Tangará da Serra, já tiveram o gabinete e precisam apenas fazer a reativação. “Ao implementarem o GGI-M, os municípios podem tratar de forma integrada dos assuntos pertinentes à segurança pública. Muitos percebem uma redução significativa dos índices criminais, já que o GGI-M vai tratar a segurança pública dentro das particularidades do munícipio, para que as instituições de forma integrada identifiquem os problemas e busquem as soluções”, explicou a major.

É o caso de Cáceres, por exemplo, que é uma cidade que faz fronteira com a Bolívia e o GGI-M funciona ativamente no município. Sorriso, Comodoro, Campo Novo do Parecis, Várzea Grande e o mais recente, Aripuanã, também são cidades que já possuem o gabinete trabalhando ativamente.

Atividade delegada

Outro assunto tratado durante as visitas foi a implementação da atividade delegada de profissionais da segurança pública. Ao celebrar o Termo de Cooperação com a Sesp-MT, os municípios passam a contar com o reforço de efetivo para ações de segurança municipais, a exemplo da própria Operação Lei Seca e estes atuam em seus momentos de folga, recebendo por seu serviço.

Diversos municípios já celebraram o termo de cooperação, algumas mais recentemente, como Lucas do Rio Verde e Primavera do Leste.

Sesp-MT

Notícias relacionadas