ACOMPANHE📺

No Fantástico, Pivetta e ex-esposa apresentam versões sobre agressão

O vice-governador de Mato Grosso, Otaviano Pivetta (sem partido), foi destaque nacional neste domingo (22), no programa jornalístico  Fantástico, em  reportagem sobre  o suposto caso de violência doméstica contra sua ex-esposa Viviane Kawamoto, em um apartamento em Santa Catarina. O político se pronunciou pela primeira vez desde que as acussações vieram à tona e negou que tenha a agredido a ex-mulher, alegando que apenas  se defendeu.

No programa, Viviane afirmou que a relação deles era movida a brigas e que tudo era motivo para falar em divórcio. O episódio em Santa Catarina envolveu PM e a detenção de Pivetta, que foi detido liberado pela Polícia  Civil mediante fiança de seis salários minímos. O inquérito com base na Lei Maria da Penha tramita na Justiça catarinense.

“Ela apareceu lá desavisadamente e me agrediu com palavras o dia todo e á noite, ela veio para vias de fato e fui me defender. Ela me agrediu, e eu na defesa, devo ter causado alguma lesão nela”, disse Pivetta. Questionado se ele agrediu Viviane,  ele foi categórico: “Não! Em nenhum momento eu a agredi. Ela avançou em mim e eu me defendi. Sangrei muito, me defefendi dela, me libertei dela”, completou.

Por outro lado, Viviane  contou que foi até Santa Catarina para buscar objetos dela que estavam no apartamento. Ela detalhou que ambos descutiram durante o dia, mas que à noite ela foi dormir em um outro cômodo, quando o vice-governador a chamou para orar para que eles ficassem bem.

Depois das agressões,  Viviane afirmou que saiu para fora do prédio e ligou para a Polícia Militar. “Quero fazer um pedido de ocorrência. O meu marido me espancou”.

Assine nosso boletim de Noticias

Eles foram levados para a delegacia de Itapema, onde passaram uma avaliação pelo Corpo de Bombeiros, onde apontou que os dois estavam com ferimentos. Contudo,  o militar que atendeu a ocorrência contou que os ferimentos mostrados pela vítima,  no começo,  indicava  violência. Mas o policial destacou que durante o percurso, na viatura indo para a delegacia, o casal começou  a mudar a versão. Viviane, inclusive,  disse que não tinha apanhado.

Viviane, que divulgou imagens de hematomas pelo corpo uma semana após a briga, ainda declarou que quando voltaram a Mato Grosso,  tentaram reatar o relacionamento, desde que morassem em casas separadas. Relatou também que sofreu violência psicológica, já que teria sido obrigada a assinar um documento, confirmando a versão de que, além da medicação, teria ingerido vinho. A versão também é negada por Pivetta.

Divórcio

No dia 12 deste mês, o desembargador Dirceu dos Santos decretou o divórcio entre Viviane e Pivetta.

Já a  juíza Tatiane Colombo, da 2ª Vara Especializada de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher em Cuiabá, impôs medidas cautelares proibindo  que Pivetta se aproxime do lar conjugal ou local de convivência; que se mantenha a 500 metros de distância de Viviane e de testemunhas do caso; também que não mantenha nenhum tipo de comunicação com ela e/ou testemunhas.

A magistrada também fixou pensão alimentícia de R$ 10 mil mensais, valor abaixo do solicitado por Viviane, que pleiteava R$ 30 mil por mês. “Deixo de analisar o pedido de separação dos corpos , haja vista que já foi decretado o divórcio do casal pelo Tribunal de Justiça”, diz trecho do despacho.

Por outro lado, a juíza negou o bloqueio de R$ 2 milhões nas contas de Pivetta e também o pedido para que o vice-governador fosse proibido de vender, ceder ou doar qualquer ativo que lhe pertença “em razão da vítima não especificar que tipo de dano sofreu, material ou moral, inviabilizando a análise deste juízo”.

Carta Aberta

Após a exibição da reportagem, Pivetta divulgou Carta Aberto dizendo que sofre violência física, psicológica e financeira de Viviane. Garante também que repúdia a violência contra a mulher e que em breve tudo será esclarecido para restaurar sua honra e de seus familiares.

Leia, abaixo, a íntegra da carta:

CARTA ABERTA

Jamais agredi Viviane Kawamoto. Em respeito às crianças, filhos de Viviane a quem passei a amar como parte da minha família, até hoje me mantive em silêncio sobre as falsas acusações que ela me faz.

O processo está em segredo de justiça. Diante da divulgação por ela promovida, é necessário reafirmar: Nunca agredi Viviane, apesar de toda violência física, psicológica e financeira que passei a sofrer em nossa convivência recente.

Tenho 62 anos e três ex-esposas, antes de Viviane. Com todas sempre mantive excelente relacionamento, mesmo após as separações.

Sou pai de seis filhos, sendo duas mulheres, e avô de quatro netos, sendo uma menina. Repudio toda e qualquer violência contra a mulher.

Minha história de vida é de respeito e de superação, tendo a felicidade de construir empresas que geram milhares de empregos para homens e mulheres trabalhadoras, que de lá tiram o sustento de suas famílias.

Estou com a consciência tranquila e confiante na Justiça, que vai mostrar a verdade sobre o que aconteceu. Estou muito triste por esta tentativa espúria de manchar minha história e destruir minha reputação.

Pela conduta reta e íntegra justamente ensinada por meus pais, sou uma pessoa que assume suas responsabilidades e não foge das adversidades.

Em breve o caso estará esclarecido e resolvido para restaurar não apenas minha honra, mas dos meus pais, filhos e netos.

RDnews

Notícias relacionadas