Indea MT atualiza programa de prevenção de ferrugem asiática no Estado

A secretaria de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso (Sedec) e o Instituto de Defesa Agropecuária de  Mato Grosso (Indea MT) atualizaram as medidas fitossanitárias para prevenção e controle da ferrugem asiática da soja no Estado. A Instrução Normativa 001/2021 foi publicada nesta segunda-feira (01.02) no Diário Oficial do Estado.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico, César Miranda, “não houve alteração nos princípios que norteiam o programa de prevenção e controle de ferrugem asiática, assim como o calendário de plantio e o vazio sanitário da soja continuam inalterados”.

,A IN contempla, a partir de agora, a possibilidade de autorização de plantios excepcionais, para fins de pesquisa, fora da janela do calendário de plantio (de 16/09 a 31/12) desde que observados os mesmos critérios estabelecidos para os experimentos realizados durante o vazio sanitário da soja, que já estavam previstos na IN 002/2015. Com dilação de prazo para até 15 de fevereiro, haverá possiblidade de realização de outras pesquisas de cunho técnico e científico, não contempladas na norma anterior, limitando a colheita dos experimentos a 14 de junho ou 31 de julho, conforme o caso.

“Anualmente, indeferimos diversas solicitações de instituições de ensino e pesquisa para realização de projetos de produção técnica ou científica para os produtores e profissionais do Estado por que não havia previsão legal para isso. De certa forma, estávamos limitando a produção de conhecimento por um entrave legal, mas estabelecemos um prazo para que esses experimentos fossem finalizados, salvaguardando a cultura com um período efetivo de vazio sanitário”, explica Renan Tomazele, diretor técnico do Indea MT.

A Instrução inclui a obrigatoriedade da utilização de fungicidas multissítio nas aplicações para controle da ferrugem asiática. “Desde 2015, o uso de produtos multissitio para o controle da ferrugem asiáticas tem se tornado cada vez mais importantes. Devido à sua utilização como ferramenta de prevenção da resistência aos demais grupos de fungicidas, entendemos ser necessária a inclusão deste importante grupo de produtos como obrigatório”, acrescenta Silvana da Silva Amaral, coordenadora de Defesa Vegetal do Indea MT.

Também está estabelecida a obrigatoriedade da eliminação das plantas guaxas ou tigueras de soja em áreas não cultivadas com a cultura em qualquer período do ano. “Nos últimos dois anos fizemos o acompanhamento da ferrugem asiática nas plantas de soja guaxas através do Laboratório de Sanidade Vegetal do Indea e encontramos a doença o ano todo, inclusive no período da seca. Essa medida é de extrema importância, pois assim estaremos eliminando qualquer possibilidade de ponte verde em nosso Estado”, finaliza Silvana.

Assine nosso boletim de Noticias
Sedec MT

Notícias relacionadas

Mato Grosso registra 346.743 casos e 9.233 óbitos por Covid-19

Redação Medio Norte Noticias

Ação integrada apreende 360 kg de entorpecentes em Vila Bela da Santíssima Trindade

Redação Medio Norte Noticias

Secretaria de Agricultura intensifica trabalho de jardinagem na área central de Nova Mutum

Redação Medio Norte Noticias