Entra na reta final ACP requerendo programa de atendimento psicológico voltado a policiais – MEDIO NORTE NOTICIAS
Informações a Todo Momento, de Nova Mutum, Brazil. Site de Noticias de Nova Mutum e Região do Medio Norte Matogrossense. Nova Mutum, Noticias, festas, policia, acidente, cidade, emprego, entretenimento, fotos, economia, agricultura, informação, Mato Grosso, Nova, Mutum, Mato, Grosso, Política, Prefeitura, Câmara, esporte, jovem, tempo, real, bombeiros, rodovia, trânsito, delegacia, Militar, Civil, Prisão, Arma, Fogo, centro oeste, biodiesel, industria, dinheiro, telefone, falecimento, vagas de emprego, vagas, BR-163, Km 600, MT-249, MT-235, Ranchão, Pontal do Marape, ginásio, jogos, escola, qualidade de vida, comercio, empresa, prédio, saúde, hospital, prefeito, vereador, eleição, bombeiros, lago, chafariz, Balada, Danceteria, Show, Fotos, Cobertura de Eventos, Informando Nova Mutum, Região, notícias de Mato Grosso, Lucas do Rio Verde, Sinop, Sorriso, Nova Mutum, Cuiabá e Região, noticias policiais medio norte mt, notícias nova mutum

Entra na reta final ACP requerendo programa de atendimento psicológico voltado a policiais

Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2019, conclui haver mais policiais vítimas de suicídio do que assassinados no horário de trabalho.

Está conclusa para sentença a ação proposta pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso, em julho de 2017, requerendo a condenação do Estado a instituir e manter programa de atendimento psicológico a integrantes das polícias Civis e Militares, Corpo de Bombeiros e peritos criminais. Nesta terça-feira (14), a 7ª Promotoria de Justiça Cível de Tutela Coletiva da Saúde anexou ao processo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2019, que conclui haver mais policiais vítimas de suicídio do que assassinados no horário de trabalho.

VEJA TAMBEM:  Rotam identifica casal suspeito de vários roubos em Cuiabá; moto e celulares recuperados

“Do relatório, extrai-se o descaso para com a saúde mental dos referidos profissionais, o que gera graves consequências, uma vez que muitos Estados sequer contabilizam o número de mortes por acidente ou suicídio. A exemplo, o Estado de Mato Grosso não disponibilizou tal dado para fins de estatística. Disto não se pode presumir a inexistência destes casos em Mato Grosso. Ao contrário, é indicativo da falta de preocupação do Estado para com a qualidade de vida dos seus servidores, bem como a ausência de uma política pública que propicie a segurança psicológica dos profissionais da área de segurança pública”, destacou o promotor de Justiça Alexandre de Matos Guedes, em um trecho da petição apresentada ao Poder Judiciário.

Conforme o promotor de Justiça, quando a ação foi proposta o Ministério Público requereu a antecipação dos efeitos da tutela, mas o pedido foi indeferido pelo Poder Judiciário. O Estado de Mato Grosso sequer participou da tentativa de conciliação. “Em 30 de julho do ano passado houve audiência de instrução e julgamento com a oitiva das testemunhas arroladas pelo Ministério Público. Já foram apresentadas as alegações finais e agora estamos aguardando o julgamento de mérito da ação”, explicou.

Documentos que instruem o processo, segundo Guedes, demonstram claramente que a rotina de trabalho dos policiais civis e militares, assim como dos bombeiros e dos peritos criminais os expõe, diuturnamente, à situações de pressão, medo, perigo de morte, entre outras. “Os riscos aos quais os referidos profissionais são submetidos, os abalos internalizados em decorrência da falta de atendimento psicológico preventivo e regular, foram amplamente demonstrados pelos depoimentos colhidos na fase pré processual e na fase instrutória”, assegurou.

VEJA TAMBEM:  Motociclista tenta fugir da PRF na BR-163

CLÊNIA GORETH MPMT

você pode gostar também
Loading...