Informação a Todo Momento

Desacordo comercial motivou execução de engenheiro agrônomo, diz delegado

Menor confirma ser o autor da execução do agente penitenciário em Lucas do Rio Verde-MTA Polícia Civil afirma que uma dívida comercial teria motivado a execução do engenheiro agrônomo Silas Henrique Palmieri Maia, de 33 anos, na zona rural de Porto dos Gaúchos (651 km de Cuiabá), nesta segunda-feira (18).

Silas foi assassinado com seis tiros na região do pescoço e da cabeça, dentro de um bar. A investigação é conduzida pelo delegado Carlos Henrique Engelmann, titular da Delegacia de Juara (a 690 km de Cuiabá). Ele informou que o suspeito é o agricultor P.F.M. e aguarda a sua apresentação na Polícia, para interrogatório.

“Ainda estamos apurando, mas consta, de maneira não oficial, que a vítima trabalhava em uma empresa, que fornecia insumos agrícolas para o suspeito. Em contrapartida, o autor do crime deveria ter entregado parte da colheita de soja dele para a empresa”, disse, em entrevista ao MidiaNews.

Engelmann explicou que, para não cumprir com o combinado de entregar um carregamento de grãos à empresa, o suspeito teria desviado três cargas de soja, fazendo uma entrega em nome do filho dele em um armazém da cidade.

“Ele [o suspeito] foi motivado por essa desavença comercial. Segundo apuramos, supostamente usando o nome do filho dele, ele teria desviado duas ou três cargas de soja e entregado em um armazém da cidade”, disse o delegado.

A desavença entre os dois teria começado quando Silas descobriu o suposto desvio do suspeito e foi até o local para cobrar a dívida. Segundo o delegado, o engenheiro assassinado chegou a ameaçar protestar a dívida em cartório.

“Ele apurou os fatos e foi até a fazenda conversar com o suspeito. Apesar de terem se desentendido no momento, tudo indica que eles teriam se desculpado e se acertado”, disse.

Execução filmada

Silas foi assassinado pelo suspeito enquanto almoçava em um estabelecimento localizado em Novo Paraíso, distrito há 25 km de Porto dos Gaúchos.

Nas imagens, gravadas por uma câmera de segurança, é possível ver o autor do crime fugindo após os disparos.

O delegado aguarda o agricultor se apresentar à polícia para ser interrogado. De acordo com ele, os advogados do suspeito informaram que ele vai se apresentar nos próximos dias.

“Já entramos em contato com advogados que representam o autor do fato. Eles sinalizaram que vão apresentá-lo nos próximos dias para que possa ser interrogado na delegacia”, contou.

Para Engelmann, apesar da gravidade da ocorrência, o inquérito deve ser solucionado e finalizado rapidamente, já que as imagens da câmera de segurança mostram o autor do crime fazendo os disparos, comprovando a “materialidade do crime”.

O delegado contou que o suspeito já foi qualificado pela polícia.

“Apesar de o fato ser grave, a solução policial é bastante simples, uma vez que já temos a prova da materialidade, o indicativo prescinde quanto autoria e os motivos já foram indicados por testemunhas relacionadas à vítima”, avaliou.

Nota de repúdio

A Associação dos Engenheiros Agrônomos de Sorriso (Aeas) publicou uma nota de repúdio sobre o assassinato de Silas. Conforme o documento, o crime “covarde” causa “revolta e indignação”.

Ainda de acordo com a nota, a relação entre os engenheiros responsáveis pela comercialização de insumos e os clientes pode ser passiva de hostilidades, como agressões verbais, mas a entidade está aberta à discussão para uma “melhor forma de trabalho e entendimento entre as partes”.

Mídia News

você pode gostar também
Loading...