Cabo eleitoral é condenado por organizar esquema de compra de votos em Nova Mutum – MEDIO NORTE NOTICIAS
Informações a Todo Momento, de Nova Mutum, Brazil. Site de Noticias de Nova Mutum e Região do Medio Norte Matogrossense. Nova Mutum, Noticias, festas, policia, acidente, cidade, emprego, entretenimento, fotos, economia, agricultura, informação, Mato Grosso, Nova, Mutum, Mato, Grosso, Política, Prefeitura, Câmara, esporte, jovem, tempo, real, bombeiros, rodovia, trânsito, delegacia, Militar, Civil, Prisão, Arma, Fogo, centro oeste, biodiesel, industria, dinheiro, telefone, falecimento, vagas de emprego, vagas, BR-163, Km 600, MT-249, MT-235, Ranchão, Pontal do Marape, ginásio, jogos, escola, qualidade de vida, comercio, empresa, prédio, saúde, hospital, prefeito, vereador, eleição, bombeiros, lago, chafariz, Balada, Danceteria, Show, Fotos, Cobertura de Eventos, Informando Nova Mutum, Região, notícias de Mato Grosso, Lucas do Rio Verde, Sinop, Sorriso, Nova Mutum, Cuiabá e Região, noticias policiais medio norte mt, notícias nova mutum

Cabo eleitoral é condenado por organizar esquema de compra de votos em Nova Mutum

COMPRA DE VOTOS

Consta dos autos, que um dia antes das eleições municipais, o empresário B.A.G repassou de forma ilícita uma quantia para o denunciado R.R para que ele obtivesse votos a um candidato.

A juíza da 5ª Zona Eleitoral, Ana Helena Alves Porcel Ronkoski, condenou o cabo eleitoral R.R por organizar esquema de compra de votos no município de Nova Mutum ( a 269 km de Cuiabá ao médio norte).

VEJA TAMBEM:  Adolescentes são apreendidos por tentativa de roubo

Consta dos autos, que em 06 de outubro de 2012, um dia antes das eleições municipais, o empresário B.A.G repassou de forma ilícita a quantia de R$ 100,00, e prometeu outros R$ 5 mil para o denunciado R.R para que ele obtivesse votos a um candidato (nome não revelado).

“No dia, local e horário acima mencionados, o acusado R.R, por sua vez, além de receber a quantia de R$ 100,00 solicitou a quantia de R$ 5 mil para trabalhar no esquema de compra de votos, com arregimentação de coletividade para executá-lo”, diz trecho extraído dos autos.

Além disso, o acusado ainda teria gravado todo o trabalho de compra de voto e confessado o ato na Justiça: “caso algo desse errado, ou mesmo se depois do serviço feito não quisessem pagar, ter como provar que tinha prestado o serviço para o B.A.G”.

VEJA TAMBEM:  Lei de Abuso de Autoridade restringe algumas atividades policiais, segundo secretário de Segurança

Em seu depoimento, R.R negou que tenha solicitado o empresário a quantia de R$ 100,00, sendo que este lhe entregou de espontânea vontade, dizendo-lhe que era um agrado”.

Em decisão publicada no Diário da Justiça Eletrônica ( DJE), a juíza Ana Helena Alves apontou que nos autos ficou comprovado a prática de crime eleitoral condenando R.R a pena de 01 ano de prisão e cinco dias-multa, em regime semiaberto.

VG Notícias

você pode gostar também
Loading...