ACOMPANHE📺

Bolsonaro é atendido: além dele, governadores e prefeitos serão investigados

Foto: Agência Brasil

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) apresentou neste sábado (10.04) pedido de aditamento à CPI da Covid para que estados e municípios também sejam investigados.

 

Em entrevista ao jornal O Globo, o senador Vieira disse que a iniciativa “acaba com as desculpas” de Jair Bolsonaro contra a abertura da comissão.

 

“A aceitação de uma CPI não depende do colegiado, mas é importante mostrar para a sociedade a impessoalidade da apuração. Isso aumenta a legitimidade e acaba com as desculpas do governo”, afirmou.

 

Assine nosso boletim de Noticias

Na sexta-feira (09.04), ao criticar a decisão do ministro do STF Luís Roberto Barroso determinando a abertura da CPI da Covid no Senado, o presidente Jair Bolsonaro questionou por que a medida não atinge também estados e municípios.

 

Ou seja, a CPI vai investigar os eventuais crimes cometidos pelo presidente e também pelos governadores e prefeitos. Atende à gritaria dos seguidores fiéis do mito para que seja investigada o que acusam de “roubalheira dos governadores e prefeitos”.

 

Alguns exemplos do discurso furioso e desesperado do bolsonarismo, com frases recolhidas de grupos de Whatsapp em Cuiabá:

 

“Se investigar os bilhões que foram enviados para os estados e o que foi feito com esse dinheiro não sobra um governador”.

 

“Agora é a hora do mito ir pra cima. Roubaram mais do que roubaram na Copa”.

 

“Cadê o dinheiro. Por isso que Emanuel tá elogiando. Encheu o rabo dele de dinheiro”.

 

“Governadores e prefeitos sumiram com a grana e a saúde está um caos”.

 

“Não fizeram hospitais de campanha. Roubaram o dinheiro”.

 

“Não faltou verba, o que foi feito com o dinheiro? Com a palavra os governadores e prefeitos, tudo culpa do Bolsonaro também não dá”.

 

“A defesa de Bolsonaro, com a CPI, será acusar formalmente governadores e prefeitos, colocando todos no mesmo balaio, aliados e desafetos”

Ou seja, para os bolsonaristas o que há é crime de corrupção, por isso os governadores e prefeitos precisam ser investigados também. O aditamento feito pelo senador Alessandro Vieira traz os governadores e prefeitos para o foco da investigação, além do presidente.

 

Em óbvio, os seguidores fiéis não enxergam ou não querem enxergar as denúncias dos crimes cometidos por Bolsonaro, crimes de responsabilidade. Executor de uma necropolítica que resultou na escalada de mortes de brasileiros vítimas da Covid, Bolsonaro terá que prestar contas aos mortos e das mortes na parte que lhe cabe.

 

  • Omisso, não liderou o país, conforme deliberou o STF no início da pandemia. Bolsanaro fez questão de não cumprir e de confundir a população dizendo que o Supremo tolheu a sua autoridade. Mentira.

 

  • Fez um discurso continuado de deboche, escárnio, contra a pandemia e negacionista, comandando uma reação popular contra as medidas de isolamento e uso da máscara.

 

  • Não providenciou a compra das vacinas no ano passado, colocando o país numa situação dramática de carência.

 

  • Gastou dinheiro público e fez propaganda enganosa do uso da cloroquina.

 

  • Seu ex-ministro da Saúde é acusado de ter se omitido no caso da compra de oxigênio na crise em Manaus, mesmo sabendo previamente da gravidade da situação.

 

  • A  acusação de genocida não é algo solto no ar, transformado em xingamento político apartado dos fatos. Os fatos são resistentes. As falas, gestos e omissões de Bolsonaro precisam ser investigados e que seja já. Sob pressão de uma CPI é que o governo federal começará a agir mais e melhor no enfrentamento à tragédia brasileira da pandemia. Pagamos o preço de termos um líder sem compaixão, sem capacidade e vontade de unir e sem competência para agir.

 

Sobre os recursos enviados aos estados e municípios: efetivamente houve um grande volume de repasses. A CPI vai investigar quanto foi destinado especificamente ao combate à pandemia, como foi gasto, e quanto se tratou de repasses legais obrigatórios.

 

Do ponto de vista político, com vistas a 2022, o fato de o presidente ter brigado para incluir governadores e prefeitos na CPI da Covid terá desdobramentos, porque eventuais aliados foram colocados também no foco da lente das apurações.

 

A defesa de Bolsonaro, com a CPI, será acusar formalmente governadores e prefeitos, colocando todos no mesmo balaio, aliados e desafetos. Uma ironia e um risco: Bolsonaro atua pelo isolamento, pelo seu isolamento político.

PNB Online

Notícias relacionadas